968565471077145
top of page

Todos combatendo as Perdas

As perdas são gastos imprevistos e que não trazem retorno algum para a empresa. Quando acontecem problemas nos computadores, acidentes de trabalho, produtos vencidos no estoque ou incêndios, por exemplo, sempre há desperdício de dinheiro. Por isso é importante estar sempre atento para evitar perdas. “No Varejo, as avarias relacionadas ao manuseio dos produtos (quebra, amassado e arranhão, por exemplo); prazo de validade dos produtos expirados; deterioração de produtos perecíveis (que pode ter origem na limpeza inadequada, no excesso de compra, em fornecedores com baixa qualidade e no armazenamento ineficiente)”.


Podemos definir a perda de estoque como a diferença entre o estoque apresentado no sistema e o que realmente está no estoque físico da loja. As perdas podem ocorrer no processo de recebimento de produtos, no manuseio, no armazenamento, na gôndola, na área de vendas e na frente de caixa.


A grande quantidade de produtos, o MIX variado, e a velocidade em que os produtos são movimentados diariamente (alto giro) são as principais causas desses transtornos em seu estoque.


As perdas podem ocorrer em qualquer local da loja, desde o depósito até no momento de o consumidor pagar o produto. Portanto, é importante entender os tipos de perdas e evitar que aconteçam em sua loja.


Segundo pesquisas anuais realizadas pela Abras, considerando valores em reais, os departamento de perecíveis Açougue, FLV, Padaria e Frios e laticínios, são os que mais apresentam prejuízo, quando o assunto é “perdas”.


Esses setores trabalham com produtos perecíveis, ou seja, com vida de validade muito curta, que exigem cuidados especiais na definição do mix, compras, transporte, recebimento, armazenagem, manipulação, exposição e passagem pelo PDV, além de serem muito visados para fraudes e furtos.


Todos os processos da comercialização de produtos perecíveis, desde a seleção dos fornecedores até a saída do produto nas mãos do cliente são críticos, exigem alto nível de profissionalismo e comprometimento para garantir o frescor, qualidade, produção diária e higiene. São estes critérios que asseguram a plena satisfação dos clientes e boas vendas.


Por se tratar de produtos perecíveis, sabemos que algumas perdas sempre ocorrerão nesses setores. Porém, o desafio é alcançar um índice aceitável, decorrente de perdas identificadas e mensuráveis, e não de “perdas desconhecidas” e não controladas.

Quando as perdas são identificadas é possível desenvolver controles,

métodos e processos que conduzam à sua prevenção.


De acordo com um estudo ABRAPPE de Perdas no Varejo Brasileiro realizado em 2021, as perdas no varejo brasileiro estão distribuídas conforme os dados abaixo:

· Quebra operacional (32,8%)

· Furto externo (19,5%)

· Furto interno (15%)

· Erros administrativos (14,1%)

· Fornecedores (9,5%)

· Entre outros (9,1%)


Ou seja, a prevenção é capaz de reduzir os impactos negativos das perdas da empresa, também auxiliando no aumento das margens de lucro.



DOIS TIPOS DE PERDAS OCORREM NA LOJA:

Perdas conhecidas (identificadas)

Engloba todos os produtos que são descartados, pois estão impróprios para o consumo e não possuem acordo de troca com o fornecedor. Os motivos mais recorrentes são: vencimento, avarias (perda de vácuo, por exemplo), características do produto alteradas (odor e aparência) excesso de produção.

Perdas desconhecidas (não identificadas)

São as perdas percebidas somente depois do valor apurado após um inventário. O valor corresponde à diferença de resultado entre o estoque físico e o estoque do sistema.

Geralmente estas perdas decorrem de furtos, vendas com código errado, controle errado do estoque, rendimento incorreto na produção, etc.


OS RISCOS DE PERDAS

Há riscos de perdas em todas as etapas de comercialização do Açougue. Elas podem ser minimizadas com a adoção de metodologia de trabalho e suporte de tecnologia. Porém, o principal componente nesta prevenção é o profissionalismo e comprometimento de toda a equipe envolvida no processo operacional.


PARA EVITAR PERDAS NA LOJA:

• Garanta a qualidade e o frescor dos produtos comercializados.

• Selecione fornecedores com alto padrão de qualidade, que ofereçam garantia de origem.

• Mantenha cadastro dos produtos completo e atualizado.

• Padronize os processos em todas as etapas.

• Adote padrão nos cortes (respeitando rendimento).

• Avalie periodicamente o rendimento nos cortes.

• Atente para os códigos na produção.

• Fazendo gestão de estoque nas lojas; usar os sistemas PVPS na armazenagem e no abastecimento da exposição.

• Acompanhando em detalhes as movimentações internas

• Controlando desperdícios

• Mantendo as balanças calibradas e com os valores atualizados. Sempre descontar as taras.

• Gerindo as vendas, os pedidos e os estoques.

Treinando e reciclando a equipe de recebimento, pois é o time que

tem o primeiro contato com o produto na loja. Treinar também os demais colaboradores do Açougue para darem continuidade ao processo.


COMO PREVENIR?

• Controlando as perdas diárias, elaborando planilhas de acompanhamento e, se possível, registros em sistema.

• Acompanhando os inventários gerais e rotativos.

• Colocando maior foco nos produtos de maior perda (Top 10).

• Adotando ações corretivas e preventivas rapidamente.

• Acompanhando as movimentações, identificando os motivos de

eventuais perdas.

Divulgando os procedimentos que envolvem a prevenção de perdas.

Treinar e reciclar a equipe do Açougue e da Frente de Caixa.

• Acompanhando a evolução das perdas através de indicadores

mensuráveis e confiáveis.

• Avaliando o relatório de acompanhamento mensal das perdas

do setor, considerando o realizado x metas x acumulados.


Mãos à obra e Todos contra as Perdas!!

Autor: Por Oscar Calderon, Gerente de Operações região sul Líder Atacadista

Comentarios


bottom of page