968565471077145
top of page

Setembro amarelo: colaboradores participam de palestra sobre saúde mental e burnout

Setembro Amarelo é o mês dedicado à prevenção do suicídio. Trata-se de uma campanha que visa conscientizar as pessoas sobre o suicídio, bem como evitar o seu acontecimento.


Os colaboradores do Líder Atacadista participaram de uma palestra durante a manhã e tarde desta sexta-feira, 23, ministrada pelas psicólogas Aryene Lima e Giuliana Fontana, sobre saúde mental, setembro amarelo e burnout. A iniciativa busca que os colaboradores percebam sinais tanto para si quanto para os outros, na expectativa de promover o pensamento coletivo e a empatia.


Sobre a campanha

A data foi criada pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e endossada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O objetivo é chamar a atenção dos governos e da sociedade civil para a importância de falar sobre o assunto.


A campanha do Setembro Amarelo foi inspirada na história de Mike Emme, que cometeu suicídio, aos 17 anos, em setembro de 1994, nos Estados Unidos. Ele tinha um carro amarelo e, no dia do seu velório, os pais e amigos distribuíram cartões com fitas amarelas e frases motivacionais para pessoas que pudessem estar enfrentando transtornos mentais e emocionais.


As fitas amarelas se tornaram o símbolo da campanha, que foi adotada em 2015 no Brasil pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP). O médico Leonardo Rodrigues da Cruz explica que a campanha é importante para reduzir preconceitos e conscientizar a população sobre os cuidados com a saúde mental – além de proporcionar a redução do estigma "por meio da informação responsável".


De acordo com a última pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde - OMS em 2019, são registrados mais de 700 mil suicídios em todo o mundo, sem contar com os episódios subnotificados, pois com isso, estima-se mais de 01 milhão de casos. No Brasil, os registros se aproximam de 14 mil casos por ano, ou seja, em média 38 pessoas cometem suicídio por dia.

Sinais de alerta

Os sinais de alerta descritos abaixo não devem ser considerados isoladamente. Não há uma “receita” para detectar seguramente quando uma pessoa está vivenciando uma crise suicida, nem se tem algum tipo de tendência suicida. Entretanto, um indivíduo em sofrimento pode dar certos sinais, que devem chamar a atenção de seus familiares e amigos próximos, sobretudo se muitos desses sinais se manifestam ao mesmo tempo.


1. O aparecimento ou agravamento de problemas de conduta ou de manifestações verbais durante pelo menos duas semanas

Essas manifestações não devem ser interpretadas como ameaças nem como chantagens emocionais, mas sim como avisos de alerta para um risco real.


2. Preocupação com sua própria morte ou falta de esperança

As pessoas sob risco de suicídio costumam falar sobre morte e suicídio mais do que o comum, confessam se sentir sem esperanças, culpadas, com falta de autoestima e têm visão negativa de sua vida e futuro. Essas ideias podem estar expressas de forma escrita, verbal ou por meio de desenhos


3. Expressão de ideias ou de intenções suicidas.

Fiquem atentos para os comentários abaixo. Pode parecer óbvio, mas muitas vezes são ignorados: "Vou desaparecer.” “Vou deixar vocês em paz.” “Eu queria poder dormir e nunca mais acordar.” “É inútil tentar fazer algo para mudar, eu só quero me matar.”


Onde buscar ajuda para prevenir o suicídio?

CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde).

UPA 24H, SAMU 192, Proto Socorro; Hospitais


Centro de Valorização da Vida – CVV

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email, chat e voip 24 horas todos os dias.


A ligação para o CVV em parceria com o SUS, por meio do número 188, são gratuitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular.


Também é possível acessar www.cvv.org.br para chat, Skype, e-mail e mais informações sobre ligação gratuita.


Burnout

O burnout é um estado de exaustão mental, emocional e física que pode tirar a alegria de sua carreira, amizades e interação com a família. Muito pior do que a fadiga comum, o esgotamento deixa as responsabilidades do dia-a-dia ainda mais difíceis para as pessoas que são acometidas por ele. O psicólogo especialista em saúde mental André Barbosa explica quais são os sintomas e como se prevenir dessa condição.


Segundo dados do International Stress Management Association (ISMA-BR), o Brasil é o 2º país do mundo com mais casos de burnout. Em números concretos, a doença atinge 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores, conforme apontam os levantamentos da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt).


"Os principais sintomas são a perda repentina de energia, cansaço fora do normal, pensamentos de autossabotagem ( de largar tudo), perder prazer, fazer questionamentos em relação a tudo e até não ver sentido nas coisas( pensamentos recorrentes; "qual sentido de continuar fazendo o que faço?", lista André Barbosa. O burnout não desaparece sozinho e, se não for tratado, o psicólogo afirma que pode levar a doenças físicas e psicológicas graves, como a depressão. "A pessoa começa a ter pensamentos ruins, inclusive suicidas", explica.


Qualquer pessoa que esteja continuamente exposta a altos níveis de estresse pode sofrer de burnout. "A pessoa que acumula atividades, que é um workaholic, tem vício em trabalhar, não tem momentos de folga e lazer, pode chegar a esta condição. Ela acorda, vai trabalhar, volta, dorme e, no outro dia, faz tudo de novo. Quem não consegue se desligar do trabalho, não tem hábitos saudáveis, rotinas prazerosas e descanso é um forte candidato. São esses os principais fatores que causam essa síndrome", conta André Barbosa.


Mas qual é a melhor forma de prevenir um burnout? O psicólogo aconselha ter uma boa qualidade de vida. "Por mais que você seja uma pessoa apaixonada por trabalhar, tem que ter a disciplina de saber parar. É ter o seu lazer, momentos com a família, amigos, ler um bom livro, fazer uma caminhada, é desplugar. São atitudes bastante preventivas", garante.


Referências

https://www.tjdft.jus.br/informacoes/programas-projetos-e-acoes/pro-vida/dicas-de-saude/pilulas-de-saude/setembro-amarelo-mes-da-prevencao-do-suicidio#:~:text=O%20Setembro%20Amarelo%20come%C3%A7ou%20nos,conhecido%20como%20%22Mustang%20Mike%22.


https://www.setembroamarelo.com/


https://g1.globo.com/df/distrito-federal/noticia/2022/09/04/setembro-amarelo-entenda-como-surgiu-a-campanha-para-prevenir-suicidios.ghtml


https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/s/prevencao-do-suicidio


https://www.correiobraziliense.com.br/ciencia-e-saude/2022/09/5038051-setembro-amarelo-voce-sofre-com-o-burnout-veja-os-sintomas-e-como-tratar.html

bottom of page